Essa expressão “fim da picada” remete muito à minha infância no interior. Meu pai costumava usar esse termo sempre que discordava veementemente de alguma coisa.

– Mas é o fim da picada! Dizia ele balançando a cabeça negativamente.

Apesar da conotação da expressão, picada é na verdade uma trilha aberta no mato a golpes de facão, ou seja, picando árvores, galhos e folhas para abrir caminho.

E o fim dela pois, é o fim do caminho. Uma vez alcançado não se pode ou não se quer ir além.

Borgonha
Fim da picada?

O preâmbulo cabe perfeitamente para explicar o meu sentimento sobre uma das regiões mais importantes de vinho do mundo, a Borgonha, no sudeste da França. E isso não é uma peculiaridade minha.

Apesar de as pessoas que mais entendem de vinho que conheço compartilharem desse sentimento, há muitas outras que discordam ou que ainda estão percorrendo seu caminho na enologia e ainda não chegaram lá.

Este caminho varia muito para cada pessoa que se aventura no mundo do vinho, mas em geral, provavelmente por uma questão de acessibilidade, começamos pelos vinhos chilenos e argentinos.

casillero del diablo
hCasillero del Diablo, da Concha y Toro

Nos divertimos muito com os Cabernets, Malbecs e Carmeneres da vida, como este Casillero del Diablo. Vinhos mais encorpados, potentes, masculinos. Muitas pessoas se identificam com esses sabores e aromas e acabam ficando por aí mesmo. Outros, curiosos, acabam se dedicando a expandir o paladar e as experiências, e o velho mundo se apresenta como uma opção que tem muito (ou tudo) a oferecer.

vinhos rioja, dao, barolo
Vinhos: Rioja, Dao, Barolo

Se você decidiu dar esse passo, provavelmente teve que investir um pouco mais e cá entre nós, não se arrependeu. Começamos com espanhóis da Rioja e da Ribeira del Duero, passamos pelos portugueses do Douro e Dão, os clássicos italianos Chiantis, Brunellos e Barolos, além dos famosos vinhos franceses de Bourdeaux. E dá para investir muito tempo da vida explorando isso aí! Aliás, eu diria que dá para passar o resto da vida assim.

No entanto, tenho que lhes relembrar que ainda não estamos no fim do caminho, algo a ser explorado, alguns sabores e aromas.

Borgonha vinhos
Borgonha

Até que algum abençoado te apresenta uma garrafa de vinho da Borgonha (vamos considerar aqui que esse tal abençoado resolveu investir em você e te trouxe um Borgonha bacana – sim, na Borgonha também tem vinhos de menor qualidade). Talvez você estranhe um pouco no começo, parece que falta potência, sabor…

Mas tenha certeza, o problema não está no vinho, mas no seu paladar, desacostumado com a delicadeza, a fruta e o equilíbrio perfeito que só um Borgonha pode te oferecer.

Uva pinot noir da borgonha
Uva pinot noir

Os vinhos tintos da Borgonha são em sua grande maioria feitos da uva Pinot Noir (a outra uva permitida pela AOC – Appellation d’Origine Contrôlée – é a Gamay dos famosos Beaujolais). A Pinot Noir é uma uva de complexo cultivo, que tem nas suas melhores safras a característica de baixa produtividade por videira, o que faz acentuar o sabor da fruta. Na região da Borgonha, terra natal dessa uva, é onde se alcançam os melhores resultados na sua vinificação, gerando vinhos mais ácidos, de aromas e sabores complexos e muito elegantes. Por sua casca fina, os vinhos de Pinot Noir têm uma coloração vermelha menos intensa.

São vinhos que têm um ciclo de vida longo e vão se transformando, desde a explosão de frutas vermelhas, especiarias e ervas nos primeiros anos, até uma infinidade de sabores e aromas terciários que o tempo lhe confere.

romanee-conti
Romanée-Conti

O núcleo de grandes vinhos da Borgonha está principalmente na chamada Côte de Nuits, que inclui o Côte de Beaune e o Côte d’Or. É dali que vêm vinhos lendários como os da vinícola Romanée-Conti e de Henri Jayer.

A Borgonha será assunto de muitos posts nesse blog, mas como homenagem ao primeiro post que escrevo aqui, resolvi começar pelo fim, e quando se conhece e se começa a explorar a Borgonha, não há mais para onde ir, nada mais te encantará de tal maneira, é uma paixão de adolescente que vira amor adulto, é o verdadeiro fim da picada!

Veja mais: Conheça o espumante Casa Valduga Brut Rose

Write A Comment