Category

Restaurantes

Category

Moro bem perto do By Koji e acabo indo lá de vez em quando. Mais pela proximidade do que pela comida em si, que é mediana.

By Koji

Se eu fosse descrever o By Koji para alguém que nunca o visitou, a primeira coisa que eu diria é que o restaurante fica dentro do Estádio do Morumbi. Não diria que é a comida é boa, que o ambiente é agradável ou que o serviço é memorável. Só isso, um restaurante que existe lá dentro do Estádio do Morumbi. É ruim? Não, de forma alguma. É bom? Também não…

Omakase By Koji
Omakase By Koji

Os pratos do chef Koji Yokomizo são mais clássicos, embora ele arrisque alguns preparos mais modernosos. Essa linha fica bem aparente no omakase, o menu degustação com 8 etapas que pedimos nesta última visita.

Azuma Kirin Nama
Azuma Kirin Nama

Para acompanhar, o sake Nama da Azuma Kirin. Sake nacional é ruim demais. Jun Daiti, Thikará e sei lá quais outras marcas são aberrações que não poderiam ser denominadas sake. Azuma Kirin é um pouco melhor, mas ainda assim bem fraco. Esse Nama, um sake não pasteurizado, é a exceção. Gostoso, leve e fácil de tomar. Pena que os supermercados vendam apenas as péssimas marcas nacionais, manchando o nome do sake.

Robalo marinado no limão com wakame
Sashimi robalo com wakame

Iniciamos o omakase com o robalo marinado no limão, wakame (alga temperada com gergelim) e molho a base de shoyu. Gosto dos 3 ingredientes, só não dos 3 juntos. Eu quase entendo usar esse molho a base de shoyu aqui, ele é fenomenal. Disse que visito o By Koji pela proximidade, mas acho que venho mesmo para comer esse molho. É viciante, mas é um molho de salada. Não funciona bem aqui, contrastando de forma esquisita com a suavidade do peixe e o sabor mais potente do wakame.

Se for ao By Koji, peça a Yassai Salada. Vai por mim.

Ebi no Harumaki Roll
Ebi no Harumaki Roll

Em seguida, um camarão na massa de harumaki. Fritura correta, sequinha e saborosa.

Sashimi By Koji
Sashimi By Koji

Para o prato de sashimis – salmão, bijupirá, robalo, akami de atum bluefin, serra, pargo e lula cozida. Destaque para o atum, com destaque negativo para a lula. Eu sempre prefiro sashimi de lula crua. E aqui serviram mais uma vez com o molho de salada…

Crayfish Gratin
Crayfish Gratin

Na sequência o crayfish gratin. Nem no nome o prato é japonês. Esse lagostim gratinado não faz sentido algum, nem aqui ou em um restaurante francês. Um tico de lagostim soterrado em um molho super poderoso de creme e manteiga.

Picanha com Molho Ponzu
Picanha com Molho Ponzu

A picanha com cebolinha e molho ponzu é simples, mas ok.

Consomé de mariscos
Consomé de mariscos e shitake

Para o consomé, um ótimo caldinho de mariscos com cogumelos shitake.

Sushi By Koji
Sushi

Fechando a refeição principal, a seleção de sushis. Comemos na mesa, não no balcão, o que sempre prejudica o sushi. Mesmo assim o shari não precisaria ser tão frio. E sushi deve ser servido com wasabi. Aqui, nem a parte ele veio.

Sorvete de tangerina
Sorvete de Tangerina

Como sobremesa, um básico e refrescante sorvete de tangerina.

Umeshu
Umeshu

E para fechar o almoço, um Umeshu, o excelente licor de ameixa da Hakutsuru.

Embora não seja nada barato (R$ 210), o omakase do By Koji tem custo-benefício inferior à de restaurantes como o Shin Zushi ou Kan Suke. É um restaurante ok, mas não a ponto de frequentar.

Leia mais: Conheça o Shin Zushi

Fui almoçar no Kinoshita, restaurante que recentemente foi premiado com uma estrela no Guia Michelin. Por que, eu não sei dizer. O restaurante decepciona na qualidade e execução dos pratos. Estive no Kinoshita algumas vezes ao longo dos anos e minha impressão sempre foi a mesma. Ambiente agradável, bom atendimento (embora mais sério) e comida
Fui conhecer o Tujuína, restaurante do chef Ivan Ralston, que agora ocupa o lugar do Tuju (que reabrirá em 2021 em outro espaço). Fui com expectativa, já que o Tuju era um dos meus restaurantes favoritos de São Paulo. E gostei bastante! Ivan Ralston Não dá para falar do Tujuína sem falar sobre o chef
Você deve ter notado que praticamente todo bom restaurante oferece de graça ou vende um pão da casa aos seus clientes.  Será que isso faz sentido, servir pães em restaurantes e encher as pessoas de comida antes delas pagarem por um prato? Faz, e muito! Pão é um sinal de hospitalidade.  Compartilhar pão com alguém
Restaurantes bons e baratos. Eles existem! Para esta lista eu selecionei alguns restaurantes que conseguem aliar bom preço a comida de qualidade. Os valores incluem o gasto em comida e serviço por pessoa. Não levei em consideração o custo das bebidas pois ele varia demais de acordo com o consumo ou não de alcoólicos. Jiquitaia
O Maní não é mais o mesmo. Esta foi a minha sensação depois de um almoço apenas ok na casa da chef Helena Rizzo. Era domingo e minhas vontades queriam me levar a lugares que estavam fechados ou lotados. Pois é, nesta pandemia maluca alguns restaurantes permanecem fechados, outros estão trabalhando com dias e horários
Como muita gente durante esta pandemia doida, passamos os últimos meses trancafiados em casa.  Com restaurantes reabertos e as coisas começando a se ajeitar no novo normal, nós resolvemos matar as saudades do Makoto, o bom restaurante japonês no Shopping Cidade Jardim. Olhando para o pedigree, o Makoto tem tudo para ser ruim.  Restaurante dentro
Ao longo das últimas décadas, a comida japonesa passou de praticamente desconhecida a uma das mais populares aqui em terras brasileiras. Separamos 10 fatos e curiosidades desta gastronomia milenar que tanto gostamos. 1. Sushi não é uma comida do dia-a-dia no Japão A comida japonesa vai muito além do sushi. Além disso, os restaurantes do
O guia francês Michelin anunciou ontem os restaurantes premiados na edição de 2020 do Guia Michelin Brasil. O evento aconteceu de forma virtual e teve a participação de chefs renomados do mundo todo, como os irmãos Roca, Mauro Colagreco e Elena Arzak, com mensagens de apoio ao setor. Guia Michelin 2020: duas estrelas Dois novos