Category

Vinhos

Category
A história do champagne tem capítulos de destaque para a atuação de grandes mulheres que assumiram as maisons ao ficarem viúvas e, de forma incrivelmente empreendedora para as épocas em que viveram, criaram verdadeiros impérios. Barbe-Nicole Clicquot Barbe-Nicole Clicquot (1777-1866) deve ser a viúva mais famosa do mundo do vinho. Ficou viúva aos 27 anos
Como assim? Existem vinhos não veganos? Vinho é feito de uva e uva por si só, é vegana! Na verdade, durante o processo de vinificação, pode haver elementos de origem animal o que torna a maioria dos vinhos, não veganos. Já falei; se tiver que matar para comer, viro vegano. Enquanto essa possibilidade não se
O vinho dessa semana se transformou em vinho da semana por acaso. Como escrevi sobre Pinot Noir no último post e citei sobre vinhos Alemães e Italianos feitos com essa uva, meu plano era postar um exemplar desses como o vinho dessa semana. Pois bem, há alguns dias, saí para jantar e como geralmente faço,
O verão é uma boa desculpa para falar de vinhos brancos, roses e por que não, tintos? Os vinhos tintos feitos da uva Pinot Noir, geralmente são vinhos mais delicados e acompanham muito bem comidas mais leves. Na verdade, sua delicadeza provém de sua casca mais fina, mas também pode variar de acordo com o
Nessa semana, já em ritmo de festas e verão, a indicação é o vinho Villa Travignoli Rose. Ele é feito de uvas tintas, 60% Sangiovese e 40% Merlot, nas montanhas de Pelago, região da Toscana. O corte de uvas italianas com francesas são permitidas na Toscana, e possuem uma classificação própria, a IGT (Indicação Geográfica
Depois de escrever um pouco sobre os conceitos de vinhos naturais, orgânicos e biodinâmicos, essa semana minha dica de vinho é nessa linha, mais especificamente dos vinhos naturais. O Era dos Ventos Peverella 2017 (R$ 225). Leia mais: Vinhos Naturais, Orgânicos e Biodinâmicos A Era dos Ventos é um projeto ousado e super interessante liderado
Provavelmente você já deve ter escutado sobre vinhos naturais, orgânicos e biodinâmicos, mas nem sempre eles vêm com bula. Sendo assim, vou falar um pouco sobre o conceito de cada um deles e tentar facilitar sua decisão quando se deparar com um vinho desses em uma carta de restaurante, na prateleira de uma loja ou
Não, a gente não se enganou de seção, esta continua sendo a seção de vinhos. Vou deixar para que meu colega de blog possa escrever sobre as comidas (deliciosas) do restaurante Charco. A mim cabe a missão de descrever uma das experiências com vinhos mais legais que tivemos em um restaurante aqui em São Paulo.
Chablis Como escrevi no meu último post, sou fã dessa região de vinhos na Borgonha, e para complementar a história, o vinho dessa semana não poderia deixar de ser um Chablis, o La Sereine Chablis. Não encontramos muita variedade de produtores de Chablis no mercado brasileiro, são em geral os mesmos na maioria das lojas