Poucos lugares do mundo se comparam a Nova York quando o assunto é gastronomia. São tantas opções que é quase impossível listar todos os bons restaurantes que a cidade tem a oferecer.

Separei aqui alguns lugares que representam um pouco da diversidade de Nova York, seja por tipo de lugar, gastronomia ou preço. São alguns dos melhores restaurantes de Nova York.

RESTAURANTES PARA OCASIÕES ESPECIAIS

Atera

atera

Impossível falar dos melhores restaurantes de Nova York sem citar o Atera. Uma das experiências incríveis na cidade, o Atera combina um menu degustação fantástico em um lugar sofisticado, intimista e convidativo. O formato é similar a uma Chef’s Table, com um balcão em formato de U permitindo que todos vejam a construção dos pratos. A comida é excepcional, a harmonização de bebidas é fabulosa e o serviço é o mais impressionante que eu já vi. De verdade, palavras não fazem justiça ao restaurante. O menu sai por US$ 298 e a harmonização de bebidas por US$ 198 ou US$ 108 (versão sem álcool). Se couber no seu bolso, priorize.

Atomix

atomix

O restaurante coreano Atomix transforma como poucos o ato de jantar fora em uma experiência culturalmente imersiva. Arte, design, moda, arquitetura, história e comida se misturam de forma orgânica. Ao chegar no Atomix você entende imediatamente que tudo foi pensado nos mínimos detalhes. Da cerâmica usada para os primeiros snacks às opções de hashi. Você também recebe o primeiro de 10 flashcards, cartões com gráficos abstratos e uma breve descrição do prato que será servido na sequência. Ingredientes, inspirações para a sua criação e o nome do artista que desenhou a cerâmica. É um pequeno guia do que vem pela frente. No final da refeição estes cartões compõe o menu que você leva para casa. Para quem não é especialista em gastronomia coreana (como eu), uma forma interessante de aprendizado. Além desta degustação no Chef’s Counter (US$ 175), existe um bar no andar de cima com um menu à la carte e preços mais moderados.

Le Coucou

le coucou

O Le Coucou é o pacote completo. Um restaurante elegante sem ser chato, ao mesmo tempo refinado e aconchegante. O serviço atencioso ajuda bastante. Todos dominam tanto o cardápio quanto a excelente carta de vinhos. Tudo funciona, especialmente a cozinha. Comi aqui uma das melhores e mais leves quenelles que já experimentei, um foie gras primoroso e uma lagosta com um molho de lamber o prato. O chef Daniel Rose não tenta reinventar a roda. Ele simplesmente atualiza de forma brilhante a comida tradicional francesa.

Marea

marea

O Marea é uma boa opção para quem gosta de comida italiana e frutos do mar. Ostras, crudos, massas frescas, tudo delicioso. Eu regularmente tento copiar o crudo de hamachi e sonho com o gnocchetti de camarão. O restaurante é geralmente bem cheio, especialmente em horários mais próximos ao happy hour. Recomendo fazer reserva.

Momofuku Ko

momofuku ko

O Ko é o mais refinado e melhor restaurante do David Chang. O Main Dining Room é uma Chef’s Table de ambiente casual e animado. Mesmo com 2 estrelas no Guia Michelin, o Ko não perde o espírito rebelde que é marca registrada do chef. A comida é inovativa e sofisticada. E cara, US$ 280 para a degustação. Se o valor for muito alto, uma segunda e também ótima opção é comer no Bar at Ko, onde é servido um menu à la carte. Alguns dos pratos clássicos do Ko, como o ovo com caviar e o foie gras com pinoles, gelatina de riesling e lichias, estão no cardápio.

Rezdôra

rezdora

Embora o chef Stefano Secchi tenha trabalhado no badalado e premiado Osteria Francescana, sua cozinha é mais tradicional. No Rezdôra brilham as massas artesanais, tanto no excelente menu degustação quanto no cardápio tradicional. É um lugar que eu quase não fui conhecer pois o menu, a primeira vista, é bem comum. O que o torna extraordinário é a qualidade dos ingredientes e o perfeccionismo na execução dos pratos. Peça a burrata ou o nhoque frito e vai entender. Vale a visita se está procurando um lugar com ambiente mais animado e comida excelente sem gastar um rim. A degustação sai por decentes US$ 95.

Shabu Shabu Macoron

shabu shabu macoron

Eu adoro shabu shabu e já comi o prato em versões tão fantásticas que eu o defino como enganosamente simples. A qualidade do caldo, o preparo dos ingredientes, a temperatura em que cada item é servido e o molho que acompanha cada curso podem elevar o shabu shabu a algo extraordinário. É por isso que eu adorei o conceito do Macoron, onde a chef Mako Okano prepara cada etapa como um omakase. Parece contraintuitivo pois o ritual de se preparar um shabu shabu faz parte do apelo do prato. Porém, é só visitar o Macoron para entender como a mão de uma especialista faz diferença. O menu completo sai por US$ 148.

Shuko

shuko

O Shuko é provavelmente meu restaurante japonês preferido em Nova York e o lugar perfeito para quem busca comida de primeiríssima linha em um ambiente mais casual e relaxado. A sensação é de um bar. A música é animada e os chefs interagem constantemente com os clientes. São duas opções de menu, o sushi omakase por US$ 180 ou o kaiseki com pratos quentes e frios, além dos sushis, por US$ 220. Só provei o Kaiseki e não escolheria diferente.

Sushi Nakazawa

sushi nakazawa

Para um omakase que sirva exclusivamente sushi, o Sushi Nakazawa é meu favorito. São alguns dos melhores sushis que eu já provei na vida. Vinte e um, para ser mais preciso, por US$ 180. São duas experiências distintas, no balcão ou na mesa. Recomendo fortemente reservar o “Sushi Counter” pois os sushis são servidos individualmente pelo próprio itamae. Aliás, o chef Daisuke Nakazawa é uma simpatia e bastante acessível, algo bem-vindo no mundo dos omakases super tradicionais.


RESTAURANTES CASUAIS

Chelsea Market

chelsea market

Eu adoro o Chelsea Market, mesmo que ele seja um lugar bastante turístico. Gosto de passear pelas lojas e petiscar em lugares diferentes. E são muitos lugares bacanas. É impossível comer tudo o que o Chelsea Market tem de bom para oferecer em apenas uma visita. Algumas das minhas opções favoritas: adobada tacos no Los Tacos No.1, fish tacos no Los Mariscos, ostras, lobster roll e lagostas no Cull & Pistol, noodles no Very Fresh Noodles, pitas no Miznon, hot dogs no Dickson’s Farmstand Meats, banh mi no Num Pang Kitchen e boozy milkshakes no Creamline.

Dominique Ansel Bakery

dominique ansel bakery

O cronut é um dos doces mais icônicos de Nova York. E por uma razão bem simples, este híbrido de croissant e donut é espetacular. Os sabores mudam todo mês, então vale conferir as redes sociais do chef para ver qual está no cardápio.

Mercado Little Spain

mercado little spain

Como o próprio website do Little Spain anuncia, esse complexo gastronômico é uma verdadeira carta de amor a gastronomia de Barcelona. O chef José Andrés (com o auxílio dos irmãos Adriá) faz pela gastronomia da Espanha algo semelhante ao que Mario Batali fez para a Itália com o Eataly, proporcionar uma experiência imersiva na cultura de um país. Ao meu ver, Andrés é mais bem sucedido. São restaurantes, lojas, bares e quiosques servindo desde pan con tomate a cochinillos, de paella a churros. São opções para todos os gostos e bolsos. Minha única recomendação é que você separe um tempinho para conhecer o Mercado. Pelo menos quando eu estive lá, o lugar estava bem cheio e não é fácil encontrar uma mesa disponível.

Momokuku Noodle Bar

momofuku noodle bar

Eu adoro a originalidade do David Chang e o Momofuku Noodle Bar é onde tudo começou. Ele popularizou uma versão do bun/bao, um pão chinês cozido no vapor, que foi copiado incessantemente nos EUA. A versão mais conhecida é a de porco. A melhor é a de camarão. Na dúvida peça um de cada e complemente com algum prato de frango frito e um dos noodles. Muito bom e com preços acessíveis.

Shake Shack

shake shack

Nada se compara ao hambúrguer do Shack Shack. A primeira vez que eu experimentei eu simplesmente não consegui acreditar que aquilo era possível. Um hambúrguer realmente delicioso em uma rede de fast food. Em NYC a localização original, no Madison Square Park, ainda é a minha favorita. Adoro sentar no parque e ver o povo passar. Peço um ShackBurger e um New York Style Hot Dog, sem batatas. Nunca entendi aquelas crinkle fries.

Sushi Kaito

sushi kaito

Nova York tem restaurantes japoneses excepcionais. Muitos deles caríssimos, por isso gosto tanto do Sushi Kaito. Balcão que acomoda poucas pessoas, serviço atencioso, peixes de primeira qualidade e preços aceitáveis. O omakase mais em conta sai por US$ 75, um bom custo-benefício.

The Musket Room

the musket room

O Musket Room é o tipo de restaurante que você quer sempre voltar. A comida é boa, o atendimento é perfeito e o lugar é lindo, especialmente no jardim que fica na área externa. E o melhor, a preços decentes. O menu muda praticamente todo dia, sempre priorizando ingredientes sazonais. Além do menu à la carte no brunch e no jantar, é possível optar pelo menu degustação tradicional ou vegano a US$ 98.

Wildair

wildair

Comida nos Estados Unidos não está limitada a junk food e o Wildair é um bom exemplo. Este wine bar tem um menu enxuto com incríveis opções em pequeno pratos. A carta de vinhos também impressiona com dezenas de opções de vinhos naturais, cidras e licores artesanais. Este o lugar perfeito para comer e beber bem em um ambiente casual e sem frescuras. Ah, e se estiver no cardápio, peça o tartare de carne com castanhas portuguesas. É um dos melhores que já comi.

COMIDINHAS BOAS E BARATAS

  • Falafel e gyro no Mamoun’s Falafel.
  • Classic Beef Pho no Phobar, em Chinatown. São 3 opções que levam em consideração o tempo de cocção do caldo. O melhor é o de 25h, um caldo rico e ultra saboroso.
  • Green curry e drunken noodles no SriPraPhai Thai Restaurant.
  • Pork dumplings with roasted chili oil no no White Bear. É o número 6.
  • Spicy lamb noodles no Xi’an Famous Foods.

E esta é minha lista com os melhores restaurantes de Nova York. Com certeza deixei bons restaurantes de fora. Vou atualizando sempre que possível!

Write A Comment