Gosto do André Mifano, por isso saí com sentimentos contraditórios do seu novo restaurante. No Donna o chef criou um menu com altos e baixos.

A proposta é similar ao Vito, restaurante que o projetou. Coquetelaria, embutidos e receitas italianas.

A entrega difere em alguns aspectos, especialmente nas concessões feitas para agradar um público mais amplo.

capri donna

A coquetelaria usa espumas adocicadas como no Voyage, Voyage (R$ 38) ou parece preocupar-se mais com a apresentação, como no salgado Capri (R$ 38).

carne crua de wagyu

A carne de crua de wagyu, picles de cogumelos e parmesão (R$ 75) poderia facilmente eliminar as trufas negras.

polenta branca com rabada

O mesmo vale para a polenta branca com rabada e salsa de tartufaio (R$ 53).

Estas trufas negras são lindas na descrição no cardápio, mas só atrapalham no que diz respeito a sabor. São tão ruins quanto azeite trufado.

ravioli de carne seca

Não entendi o ravioli de carne seca com requeijão, molho de abóbora e mel (R$ 76). Aqui o problema está na concepção, não nos ingredientes. O molho é doce, agressivamente doce.

fetuccini ao ragu bolonhesa

O fetuccini bolognese (R$ 62) tem ragu em versão com creme de leite e sem tomate. Ao mesmo tempo gostoso e enjoativo.

pão de queijo frito

Já adorei o pão de queijo frito recheado com queijo da Serra da Canastra (R$ 32). Surpreendentemente leve. Entrou para a lista dos meus favoritos da cidade.

rigatoni com molho de linguiça caseira

O rigatoni com molho de linguiça caseira e erva doce (R$ 65) é confortante, aquele abraço de um molho clássico bem-feito.

risoto de milho tostado

Raramente peço risoto em restaurantes. Arroz pré-cozido, calor, prato monótono. Pedi o risoto de milho tostado, joelho de porco e saba (R$ 79) e me dei bem. Senti na integralidade a boa execução de cada um dos ingredientes.

bolo de abobrinha

Para fechar, o bolo de abobrinha com sorvete de queijo cabra (R$ 38) passa aquela sensação de bolinho de Natal. Açúcar, nozes, nostalgia.

Fico no meio do caminho em relação ao Donna.

O lugar reflete minha sensação. Uma mesa deliciosa na área externa e um ambiente um pouco claustrofóbico na pequena área interna.

O Donna parece ser a versão mais comercial do Mifano. E compreendo. Neste país é bem mais simples vender espaguete carbonara do que joelho de porco braseado.

Fico feliz que ambos estão no cardápio.

#restaurantedonna

#andremifano

Leia mais: Rosewood é mediocridade a preços estratosféricos

Write A Comment