Roi Méditerranée. Sempre visito novos restaurantes de mente aberta, sempre disposto a gostar, mesmo que tenha expectativas distintas de lugar para lugar.

Pois bem, confesso que tive que me esforçar para ir ao Roi Méditerranée. Fui ao restaurante há uns 2 meses e me levantei depois de alguns minutos. Esperava um restaurante francês e encontrei a bolsa de valores de 15 anos atrás.

A gritaria generalizada foi demais.

Como me perguntam muito sobre o restaurante, eu bolei um plano infalível. Tomaria alguns drinks em um lugar bacana e tentaria o Roi novamente.

Lá fui eu então ao Il Covo, sobre o qual falarei em breve. Bebi bem e saí feliz da vida, pronto para voltar ao Roi.

Para minha infelicidade descobri que a barulheira é o padrão da casa.

Persisto. Estou de bom humor.

Sento-me em uma mesa sem qualquer privacidade. O restaurante é um caixote com mesas grudadas umas nas outras.

O atendimento é frenético, gente correndo para todo lado.

É impraticável conversar.

O que tanta gente encontrou aqui?

Geralmente o contraponto ao cardápio ultra genérico destes restaurantes é a experiência. No Roi eu encontrei uma balada ambientada dentro de uma praça de alimentação. O exato oposto de um lugar agradável.

Respiro. Estou relativamente de bom humor.

Vamos a comida.

ovo mollet

Evito o complexo e vou de ovo mollet com cogumelos e demi-glace (R$ 44). É excessivamente gorduroso e pesado.

mexilhões ao molho de vinho branco

Os mexilhões ao molho de vinho branco (R$ 86) têm moluscos ressecados em um monótono molho de creme de leite.

vinagrete de polvo

O vinagrete de polvo com tomate cereja, cebola e brotos (R$ 56) não passa de uma salada de tomate, já que o polvo não tem muito sabor.

carpaccio de peixe branco

O carpaccio de peixe branco com azeite, limão e sal (R$ 48) até que funciona em sua simplicidade.

nhoque de mandioquinha

Por fim, o nhoque de mandioquinha com fonduta de grana padano e cogumelos trufados (R$ 68), supostamente uma das estrelas da casa. Um nhoque com proporção inadequada de farinha em um molho pesado e enjoativo. E com aquele trufado químico intragável.

Já meio mal-humorado, peço a conta.

Na saída do Roi Méditerranée eu paro e dou uma olhada no balanço que tanto roda as redes sociais. O sucesso de um restaurante, por vezes, parece tão banal.

#roimediterranee

Leia mais: Casa Rios tem comida brasileira executada com perfeição

Write A Comment