Talvez o último post sobre a Borgonha (este aqui) tenha gerado alguma vontade de aprender um pouco mais, e claro, tomar vinhos da Borgonha. Resolvi então trazer duas opções como vinhos desta semana, o Charmes-Chambertin do Pacalet e o Bourgogne do Louis Latour.

E por que dois vinhos? Bom, apesar de ambos serem da Borgonha, cada um está em um extremo da gama de vinhos da região e para poder entender do que se tratam essas diferenças, precisamos falar de história e geografia.

A Borgonha é uma região no sudeste da França, formada por Villages (vilarejos), que por sua vez são formados por glebas de terras classificadas conforme seu micro clima e terroir, o que podem lhes dar a classificação de Premier Cru ou Grand Cru.

É com base nesse mapa que se classificam os vinhos da Borgonha, ou seja, dos mais simples aos mais exclusivos:

Bourgogne

Conhecidos como Borgonhas genéricos, são feitos de Pinot Noir e essas uvas podem vir de qualquer lugar dentro da região da Borgonha

Village

São os vinhos que levam o nome do vilarejo de onde são produzidos, como por exemplo Vosne-Romanée. Por volta de 37% dos vinhos feitos na Borgonha são Villages.

Premier Cru

São terroirs ou terrenos específicos dentro dos Villages. Nesses locais cultivam-se vinhedos de altíssima reputação com características peculiares. É o segundo na classificação de qualidade da região, ficando atrás apenas dos Grand Crus.

Grand Cru

São as parcelas de terra ou vinhedos mais valorizadas da Borgonha e provavelmente do mundo (em 2014 o conglomerado de marcas de luxo LVMH adquiriu um Grand Cru na Borgonha por estimados 3.8 milhões de euro o hectare). Existem apenas 33 Grand Crus na Borgonha, ou seja, 1,4% dos vinhos produzidos ali tem essa classificação. Esses terroirs tem características capazes de gerar uvas excepcionais e, portanto, os melhores vinhos da região e provavelmente do mundo.

Bom, vamos aos vinhos desta semana:

Bourgogne Louis Latour Pinot Noir 2018

pinot noir louis latour
Louis Latour

Este produtor é um dos maiores da Borgonha e este é seu vinho regional de entrada. Esse Bourgogne do Louis Latour tem coloração rubi intensa, oferece aromas de frutas vermelhas, taninos sedosos e delicados.

Compre o vinho: Bourgogne do Louis Latour

Philippe Pacalet Charmes-Chambertin Grand Cru 2011

Philippe Pacalet Charmes-Chambertin Grand Cru
Philippe Pacalet

Philippe Pacalet é um ícone quando se trata de vinhos com pouca intervenção na Borgonha. Este vinho é feito em um processo natural de vinificação, sem adição de leveduras selecionadas e SO2. Aqui você vai sentir o que a fruta no vinho pode oferecer no seu ápice. Tem aromas especiarias e notas defumadas, mostrando alguma evolução, mas esse vinho tem uma longa vida pela frente.

Vinho da semana passada: Espumante Casa Valduga Brut Rose

Write A Comment